Doenças de pele comuns
Crédito: Freepik
em

Doenças de pele comuns – mas que pouca gente está atenta

Essas doenças afetam muitas pessoas, mas nem todo mundo se trata e sabe como evitar que piore

Publicidade

A lista de doenças de pele mais comuns é grande, e nem por isso as pessoas se dão conta de que, muitas vezes, são doenças que se pode prevenir e que têm tratamento. Há tipos de doenças de pele que não causam grande desconforto, e por isso as pessoas aceitam conviver com elas sem se tratar. Veja quais são as mais comuns, seguindo as informações da Sociedade Brasileira de Dermatologia, e fique de olho na sua pele para mantê-la sempre saudável.

Dermatite atópica

Crédito: Reprodução/Drauzio Varella

É uma doença genética crônica, também chamada de eczema atópico. Gera inflamação na pele, deixando lesões de cor rosada e avermelhada, descamação com partes da pele mais grossas e causando coceira. Pode acontecer de provocar aumento da umidade da pele.

Pelo fato de ser uma doença crônica, a dermatite atópica não tem cura. Há casos em que ela simplesmente desaparece e não volta mais. Se voltar, existe tratamento para controlar, incluindo banhos com água morna, cremes específicos e hidratantes (com ou sem medicação na composição), alimentação balanceada e saudável, uso de filtro solar, manter a pele hidratada, evitar banhos muito quentes e não coçar as lesões.

Dermatite de contato

Crédito: Reprodução

É uma reação inflamatória na pele decorrente da exposição a um agente capaz de causar irritação ou alergia. O tipo irritativa é causado por substâncias ácidas ou alcalinas, como sabonetes, detergentes, solventes ou outras substâncias químicas. O tipo alérgica surge após repetidas exposições a um produto ou substância, desde roupas até plantas.

Publicidade

Na dermatite irritante, os sintomas são de coceira e sensação de dor e queimação. A pele fica seca, vermelha e áspera, sendo que fissuras podem se formar no local.

Na dermatite alérgica pode ocorrer uma erupção vermelha no local no qual a substância entrou em contato. A reação alérgica surge de 24 a 48 horas após a exposição. A lesão pode ser vermelha, inchar e apresentar pequenas bolhas, ser quente, ou formar crostas espessas.

Os tratamentos vão depender da causa e da gravidade do problema. Poderão ser tomadas medidas apenas locais ou incluir a utilização de medicações via oral ou injetável.

Publicidade

Dermatite seborreica

Crédito: Reprodução/Clínica Ideal

É uma inflamação crônica, com períodos de melhora e piora, que pode ter origem genética ou ser desencadeada por alergias, estresse emocional, baixa temperatura, consumo de álcool, medicamentos e excesso de oleosidade. A pele sofre com descamação e vermelhidão em áreas como sobrancelhas e cantos do nariz, couro cabeludo e orelhas.

O tratamento pode envolver lavagens mais frequentes, parar de usar sprays, pomadas e géis para o cabelo, não usar chapéus ou bonés; usar xampus que contenham ácido salicílico, alcatrão, selênio, enxofre, zinco e antifúngicos, e usar cremes/pomadas com antifúngicos.

Psoríase

Crédito: Reprodução/Saúde Bem-estar

Existem 8 tipos de psoríase, cada uma com suas particularidades. Mas, de modo geral, é uma doença crônica e inflamatória, não contagiosa, que causa manchas avermelhadas e escamosas, manchas esbranquiçadas (ou escuras) pós-lesão, pele ressecada, rachada e com sangramento, coceira, ardência e dor no local escamado ou avermelhado, e ainda pode deixar unhas grossas e deslocadas, e inchaço e rigidez articular.

Publicidade

O tratamento não serve para curar, mas sim, para aliviar os sintomas e melhorar a qualidade vida do paciente. As opções podem variar desde hidratação da pele, medicamentos tópicos (pomadas), exposição solar diária, exposição artificial a luz ultravioleta A ou B, sempre com acompanhamento médico.

Eczema

Crédito: Reprodução/Sociedade Brasileira de Dermatologia

É uma inflamação na pele que pode ser aguda, aparecendo repentinamente, ter sintomas intensos e desaparecer um tempo depois. Ou, pode ser crônica, surgindo de forma gradual e duradoura.

Os sintomas de eczema são coceira, vermelhidão e inchaço na área afetada. Na fase mais aguda podem aparecer pequenas bolhas de água na pele. Quando está em fase crônica, as bolhas estouram e secam, deixando a pele mais grossa e com crostas escamosas e mais grossas.

Publicidade

O tratamento não é para cura, mas sim, para abrandar os sintomas. Pode ser feito conforme o tipo e a necessidade do paciente, podendo incluir medicamentos antialérgicos e corticoides, além de manter a pele hidratada, não apenas com cremes, mas também ingerindo bastante água.

Melasma

Crédito: Reprodução

É uma condição caracterizada pelo aparecimento de manchas marrons na pele. Elas são mais evidentes no rosto (testa, bochechas, nariz e queixo), mas também podem aparecer em regiões como colo, antebraços e pescoço.

As manchas do melasma se formam por uma produção maior de melanina, componente que dá cor à pele. Pode acontecer por excesso de exposição ao sol e desregulação hormonal, o que inclui uso de anticoncepcional, gestação e problemas de tireoide.

Publicidade

O tratamento pode ser feito para que as manchas desapareçam, mas a qualquer momento elas podem voltar. O dermatologista usa ativos como ácido retinoico, glicólico, kójico, ferúlico, ácido tranexâmico, hidroquinona, artbutin e resveratol para tratar as manchas.

quais os sintomas de Câncer em animais

Câncer em animais: quais as raças mais vulneráveis, sintomas e tratamentos

tipos de feijão no brasil

Conheça os tipos de feijão e seus benefícios para a saúde