dieta da agua
Crédito: Freepik
em

Dieta da água: saiba como funciona e conheça os perigos

Beber apenas água sem preparar o organismo pode ser um grande perigo à saúde

Fazer dieta pode ser uma solução ou um grande perigo. Tudo vai depender de como você faz. No caso da dieta da água, que você vai conhecer agora, basicamente consiste em uma variação do chamado jejum intermitente, no qual a pessoa escolhe um ou dois dias da semana, alternados, para beber somente água e não comer nada.

Porém, esse processo não tem apenas o objetivo de emagrecer, mas sim de limpar o organismo, já que as pessoas que fazem o jejum estão habituadas a uma rotina alimentar bastante saudável e regrada. Então, saiba a verdade sobre a dieta da água.

Veja também: como funciona a dieta do leite

Dieta da água é perigoso?

Sim, pode-se dizer que a dieta da água é uma prática perigosa e sem eficácia, mesmo que consista em beber apenas água durante 1 ou 2 dias na semana. Veja os motivos:

Pouca eficiência

Para quem resolve fazer a dieta da água ficando 1 ou 2 dias inteiros apenas tomando água, mas comendo normalmente nos demais dias, vai haver um drástico desequilíbrio no organismo. Ou seja, a dieta não o fará emagrecer, pois irá interromper de repente o fornecimento de nutrientes para o corpo, que irá compensar no dia em que voltar a comer.

Perda de peso de forma inadequada

A dieta da água pode até fazer o corpo emagrecer, mas não será do jeito esperado. A gordura vai permanecer no corpo, pois ele vai entender que a falta de comida necessita de economia de energia, ou seja, retenção de gordura. O que será perdido será massa muscular e líquidos ricos em nutrientes necessários para a saúde.

Cardápio da dieta da água com alimentos de baixas calorias

cardapio da dieta da agua
Crédito: Freepik

Existem muitos cardápios para a dieta da água, seja com água morna ou gelada, mas nenhum deles é defendido pelos profissionais da saúde. Não há embasamento científico sobre a eficácia dessa dieta, exceto se for no caso de um plano alimentar que inclua o jejum intermitente de forma consciente e com acompanhamento médico.

Mas, em todo caso, para conhecimento, veja um modelo de cardápio menos drástico dessa dieta, que inclui alimentos com poucas calorias.

Em jejum, ao acordar

  • 300 mililitros de água

Café da manhã

  • 1 iogurte grego ou desnatado com linhaça + 1 xícara de café ou chá sem açúcar + 1 fatia de pão integral com pasta de ricota

Lanche da manhã

  • 300 ml de água + 1 barra de cereal

Almoço

  • Salada à vontade +  2 colheres de sopa de arroz integral + 1 filé de frango grelhado + 50 gramas de legumes

Lanche da tarde

  • 300 ml de água + 1 taça de gelatina

Jantar

  • 200 ml de água + salada à vontade + 1 fruta

Ceia

  • 1 xícara de chá verde + 1 taça de gelatina

Riscos e cuidados

Esse cardápio visto acima é de uma dieta restritiva, que também pode trazer prejuízos se feito por muitos dias. É necessário ter o acompanhamento de um nutricionista para poder variar essas opções de alimentos ao longo da semana. Só o que faz sentido é manter a ingestão de pelo menos 2 litros de água ao longo do dia.

Os riscos de começar a fazer a dieta da água restritiva sem o devido preparo são muitos: perda excessiva de nutrientes, desmaios, problemas intestinais, dores de cabeça, perda de massa magra, complicações por causa da falta de açúcar no sangue e desequilíbrio geral do organismo.

Para fazer a dieta da água comendo nada ou quase nada é preciso preparar muito bem o organismo. Ou seja, deve iniciar como é recomendado para qualquer dieta: comece indo a um nutricionista.

Fale com o profissional sobre o seu plano de emagrecer e passar a ter um estilo de vida mais saudável. Também, pergunte sobre como funciona o jejum intermitente e como deve começar a se preparar para essa prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0
dieta do leite

Dieta do leite: saiba o que é, cardápio e cuidados a ter

dieta HCG

Dieta HCG: saiba o que é, como funciona e contraindicações