em

Como cultivar orquídeas: passo a passo para plantar a flor

Quer ter lindas flores em casa? Confira como é fácil plantar orquídeas em vaso!
como cultivar orquídeas
Crédito: Freepik

As orquídeas são plantas lindas e que podem inclusive melhorar a sua saúde. Estudos comprovam que tê-las em casa afasta a depressão e melhora a qualidade do ar. Com tantos benefícios, você deve querer aprender como cultivar orquídeas já!

Além disso, elas são decorativas e dão um ar mais sofisticado ao seu lar. Muitas espécies são fáceis de replantar em ambiente interno. Mas você pode usá-las no seu jardim!

Se você quer saber como cultivar orquídeas sem erros, veio ao lugar certo. Nesse artigo, você aprenderá como escolher a planta, qual o melhor tipo de solo, em que vaso pô-la e como cuidar dela.

Como plantar orquídeas em casa

Cultivar essas plantas não tem mistério. Você pode comprá-las já envasadas ou conseguir uma muda para realocar.

Contudo, antes de tudo é preciso saber que orquídea você quer comprar. Existem mais de 30 mil tipos de espécies diferentes da flor. Cada espécie tem um jeito diferente de ser cultivada e cuidada.

Mesmo assim, a maioria das orquídeas pode facilmente ser plantada em vaso e criada dentro de casa. Veja o passo a passo para ter uma orquídea de sucesso!

1. Escolhendo a planta

Como dito, são inúmeros os tipos de orquídeas por aí. Por isso, o melhor é optar por plantas que sejam apropriadas ao fim que deseja. Se sua casa é mais úmida e bate pouco sol, talvez seja mais adequado procurar por plantas que precisem de menos luz e mais água.

Há diversos gêneros de orquídeas, porém os mais comuns são Phalaenopsis, Dendrobium e Oncidium. Normalmente, esses tipos não ficam em terra, mas sim em substrato, que é um conjunto de matéria orgânica fácil de fazer.

Uma boa ideia, ao escolher a sua espécie, é pegar com o florista o nome oficial da planta. Assim é mais fácil saber qual a melhor forma de cuidar dela e cultivá-la. Cada tipo de flor tem suas necessidades específicas e um dos maiores erros das pessoas ao compra-las é justamente não se informar disso.

2. Colocando-a no solo apropriado

substrato de orquídea
Crédito: a vida em azul cueca

Ao contrário de outras tantas plantas, são poucas as orquídeas que ficam diretamente na terra. As raízes das orquídeas são mais sensíveis e precisam respirar. Elas também não gostam de ficar encharcadas.

Por essa razão, usa-se o substrato. Idealmente esse substrato é feito de pedaços de cascas de árvores, musgo (conhecido como esfagno), casca de coco, carvão vegetal, pedras e até isopor. Opta-se pelos materiais porosos, pois eles são respiráveis e permitem a circulação constante de ar.

Esse substrato tem de ser trocado de tempos em tempos, porque estraga, azeda ou mofa. Quando isso acontece, você pode removê-lo, cortar os cabos de raiz seca e replantar a sua orquídea.

E tem mais! O substrato deve ser adequado conforme a espécie. Algumas com raízes menores, como as Oncidiums e Miltonias, precisam de um substrato mais fino para reter mais umidade. É bem simples fazer isso, basta moer em pedaços menores os materiais escolhidos.

Já as Cattleyas e Phalaenopsis gostam de espaço para suas raízes e ramos. Portanto, elas precisam de um solo composto por substrato médio. Deixe os materiais em pedaços maiores.

3. Optando pelo vaso adequado

vasos para orquídeas
Bellas Orquídeas – Blogger

Assim como o solo, as orquídeas também requerem vasos diferenciados das outras plantas. Esse é outro erro comum de quem procura como cultivar orquídeas sem se informar muito.

O melhor tipo de vaso para orquídea é aquele que o ar pode circular. Então busque vasos de barro furadinhos ou cestinhas de vime. Algumas opções de madeira são bacanas, contudo certifique-se que eles são preparados para não se deteriorarem com a água.

Quanto mais vazado o pote, melhor! Se você comprou ou ganhou a sua orquídea e ela veio em pote plástico, não há problema. Pode transplanta-la ou apenas fazer furos no plástico. O importante é não deixar as raízes sem ar.

4. Cuidando do ambiente

As orquídeas são muito sensíveis a muitos fatores. Mas isso não quer dizer que elas morram fácil! No entanto, elas são suscetíveis às infeções fúngicas e bacterianas. Por isso, devem ser mantidas em ambiente limpo.

Toda vez que você for mexer na sua planta, cortar cabos ou muda-la de vaso, deve fazê-lo com as mãos limpas e esterilizar os objetos. Assim não corre o risco de passar doenças para a sua flor.

Também é importante que ela tenha acesso à luz indireta e não seja regada com muita frequência. Essa é uma daquelas plantas que se você esquecer de dar água não tem mal nenhum.

Limpar o pó das folhas também é necessário. Pode até lavar a orquídea inteira com água, desde que com ela fora do substrato e depois coloque-a para escorrer bem toda a água.

5. Adubando de acordo com o calendário

Agora que você já tem a sua plantinha no solo certo, vaso adequado e em perfeitas condições de saúde, convém adubá-la. Você pode comprar o produto apropriado ou fazer uma série de adubos caseiros para a sua orquídea.

Uma boa ideia é usar canela! Além de cicatrizante natural, ajuda a planta a crescer e florescer mais rapidamente. Manter um calendário também ajuda você a se lembrar de regar, adubar e transplantar a sua flor.

Algumas orquídeas dão flores uma vez só ao ano, por isso, quando as flores caírem, não jogue a planta fora. Já outras podem dar com mais frequência se bem cuidadas. E umas raramente florescem.

Confira abaixo com que frequência algumas espécies têm flor:

  • Anual: Dendrobium, Miltonia, Paphiopedilum e Phalaenopsis (e híbridos).
  • Bianualmente: Cattleya, Dendrobium, Oncidium, Odontoglossum (e híbridos).
  • Uma vez a cada três anos: Vanda e

As orquídeas não devem ser adubadas o tempo todo. Você pode fazer isso uma vez por mês ou com mais intervalo.

Melhores orquídeas para ter em casa

Veja quais as melhores flores para ter dentro de casa e em vaso na lista abaixo.

Phalaenopsis

orquídea Phalaenopsis
Crédito: Construindo Decor

Talvez o tipo mais comum e barato. A Phalaenopsis é geralmente roxa ou tons de lilás, porém você também encontra variações em amarelo e branco.

Dendrobium

orquídea Dendrobium rosa
Crédito: Construindo Decor

Esse tipo vai bem tanto dentro de casa como no jardim. As Dendrobium têm flores de várias cores e que duram cerca de um mês.

Paphiopedilum

orquídea Paphiopedilum
Crédito: Petrens Orchid Shop

Conhecida como sapatinho, a Paphiopedilum é uma orquídea terrestre que dá flores de mais de uma cor. Essa espécie cresce muito bem quando cultivada com esfagno.

Como cultivar orquídeas no pátio

orquídeas de exterior
Crédito: Orquídeas Cuidados

Se você tem um jardim externo, também pode cultivar essas flores maravilhosas por lá. Engana-se quem pensa que as orquídeas são plantas de apartamento. Muitas delas inclusive crescem diretamente em troncos de árvores ou entre outras plantas.

Se você quer aprender com cultivar orquídeas externas de grande porte, pode até fazer um curso gratuito aqui. Mas a regra geral é sempre cuidar que elas tenham bastante ventilação e que suas raízes estejam protegidas dos ventos mais fortes, para não quebrar a planta.

Também é bom ficar ainda mais atento às regas. Se você mora em uma região que chove muito e mantém um orquidário no jardim, pode ser que nem precise regá-las. Lembre-se as raízes jamais devem ficar encharcadas.

Fonte: Dummies

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Loading…

0
Comentários

comentários

7 receitas de beleza com bicarbonato de sódio
6 dicas para prevenir e tratar dores nos joelhos e lesões nos tendões