Como melhorar a relação de meios-irmãos
Crédito: Freepik
em

Como melhorar a relação de meios-irmãos: 5 Dicas para começar hoje mesmo

Conflitos acontecem quando existe o sentimento de injustiça. Veja como acabar com isso e promover a paz no lar

Publicidade

Dependendo de como são criados e incentivados pelos pais, os meios-irmãos podem se dar muito bem, até melhor do que se fossem irmãos por parte de pai e mãe. Mas, infelizmente não é sempre assim. Então, confira algumas dicas de como agir para melhorar a relação entre meios-irmãos.

1. Cuidado logo no início do novo relacionamento

Se você é pai ou mãe e está no começo de um novo relacionamento, já deve se antecipar para criar um ambiente favorável à amizade dos seus filhos com os filhos do seu parceiro ou parceira. Então, essa dica é para quem quer prevenir conflitos.

É bem importante que os pais permitam que seus filhos estejam por dentro do novo relacionamento, sabendo que existe uma outra pessoa, que ela também tem filhos e que é algo legal, especial. Os filhos colaboram muito melhor quando se sentem parte do que está acontecendo ao invés de serem pegos de surpresa e forçados a se relacionar.

2. Tratamento igualitário

Essa é mais uma dica de prevenção de conflitos. Se, desde o começo do relacionamento entre os filhos, os adultos acolherem todos e tratá-los como iguais, tudo será mais fácil. São os adultos que precisam dar o exemplo de que todos os filhos são iguais e especiais, e merecem o mesmo respeito. É assim que irmãos devem ser tratados, sejam por parte de pai e mãe ou meios-irmãos.

Publicidade

3. Parem com as comparações e preferências

Dentro do tratamento igualitário dois pontos merecem destaque, e devem ser corrigidos caso já estejam acontecendo e causando conflitos:

Nunca compare um filho ao outro, nunca diga “olha, como ela faz isso tão bonito, você deveria fazer igual”. A intenção pode ser boa, mas o resultado é catastrófico. Comparações só servem para afastar os filhos, ao invés de um admirar as qualidades do outro.

Mais um ponto é evitar dar preferência para uma das crianças ou adolescentes só porque é mais novinho. Os mais velhos deveriam compreender, é claro. Mas, eles não têm maturidade para isso e estão lidando com o ciúme.

Publicidade

4. Conflitos devem ser resolvidos com diálogo

Não negligencie os conflitos entre os filhos, dizendo “se resolvam vocês”. Ao invés disso, adote um comportamento de união familiar. Chame todos à mesa, deixe que cada um dê a sua visão sobre o problema e depois proponha uma solução com base no diálogo, na reflexão e na empatia. Faça um enxergar o lado do outro e, no fim, o resultado deverá ser justo. Todos devem sair satisfeitos da mesa e logo se acostumarão a resolver os problemas sozinhos, mas usando essa estratégia.

5. Todos devem se sentir parte da família

Além de promover uma relação igualitária, é muito importante que todos os filhos se sintam úteis e necessários nessa família. Cada um deve ter suas responsabilidades para o bom funcionamento do lar, mesmo se não moram juntos, mas aí vale para quando estão juntos. Os filhos devem poder opinar nas decisões da casa ou das atividades que serão feitas, compartilhar seus problemas e saberem que podem contar um com o outro, pois o amor sempre vai prevalecer.

Pinçamento na coluna

Pinçamento na coluna: causas, sintomas e tratamentos

Tipos de assédio no trabalho

Tipos de assédio no trabalho: como identificar e o que fazer