beato carlo acutis
Crédito: Reprodução
em

A história de Carlo Acutis: o primeiro beato da geração millennial

Sua breve vida foi devotada à Eucaristia, e os milagres a ele atribuidos permitiram sua beatificação

O jovem britânico Carlo Acutis tinha apenas 15 anos quando faleceu por causa da leucemia, no ano de 2006. Ele nasceu em Londres, onde seus pais italianos estavam trabalhando. Mas ainda criança mudou-se com os pais para Milão, onde passou sua infância e adolescência.

Desde muito cedo Carlos demonstrava grande interesse pela igreja e estava envolvido em trabalhos de caridade. Seus pais não tinham o a mesma devoção, mas assim mesmo, aos 7 anos ele pediu para receber a primeira comunhão. A partir de então, Carlo frequentava as missas todos os dias e sua rotina era marcada por uma profunda espiritualidade.

A doença

Quando sua doença foi descoberta e ele sabia que poderia não sobreviver à enfermidade, ofereceu sua dor pelo Papa Bento XVI e pela Igreja Católica, dizendo: “Eu ofereço todo o sofrimento que hei de ter pelo Senhor, pelo Papa e pela Igreja”.

Nessa época Carlo pediu aos pais que o levassem em peregrinação aos locais de todos os milagres eucarísticos conhecidos no mundo, mas infelizmente sua condição de saúde não permitiu.

Além da sua devoção à Eucaristia, Carlos sempre foi um menino prodígio que tinha habilidades com programação. Para fazer bom uso dessas habilidades e reunir suas duas paixões, no ano de 2005 ele criou um site onde documentava milagres eucarísticos ao redor do mundo, nos locais que ele não poderia visitar.

Carlos faleceu de leucemia fulminante no dia 12 de outubro de 2006, às 6h45 da manhã, e foi enterrado em Assis, cidade de São Francisco, como era de sua vontade, já que era devoto ao Santo.

O processo de beatificação

Crédito: Reprodução

Não muito tempo depois da sua morte iniciaram os pedidos para sua beatificação, com maior impulso no ano de 2013, quando a Conferência Episcopal Lombardiana aprovou a petição para que a causa da canonização fosse introduzida em sua reunião. Assim, após a investigação diocesana, Carlo foi intitulado Servo de Deus, que é o primeiro estágio no caminho para a santidade.

Após serem confirmadas suas virtudes heroicas, em 5 de julho de 2018 o Papa Francisco declarou que Carlos era Venerável, que significa ser digno de estima e honra.

Em 23 de janeiro de 2019 seu corpo foi exumado, tratado com técnicas de conservação, e transferido para a Igreja de Santa Maria Maior em Assis, onde aguardou a beatificação para finalmente ser exposto à veneração pública.

Recentemente, em 21 de fevereiro de 2020, o Papa autorizou a beatificação de Carlo, que ocorreu oficialmente em uma cerimônia no dia 10 de outubro.

A beatificação é o último passo antes da canonização que fará de Carlo o primeiro Santo Millennial, ou seja, nascido na geração entre 1980 a 1996, que cresceu cercada pelo mundo digital.

“Carlo usou a Internet a serviço do Evangelho, para alcançar o maior número possível de pessoas”, disse o cardeal Agostino Vallini na cerimônia de beatificação.

Milagre no Brasil

Crédito: Reprodução

Para que uma pessoa seja beatificada, além de passar por todos os passos anteriores que comprovam sua vida devota, também requer a atribuição de um milagre às orações feitas ao indivíduo após a sua morte.

No caso de Carlo Acutis, um dos milagres veio do Brasil. Matheus, um garotinho de 3 anos sofria com uma grave doença estomacal que os médicos não conseguiam diagnosticar. Ele praticamente não se alimentou por dois anos, até que veio o diagnóstico de pâncreas anular, que é quando uma porção de tecido do pâncreas circunda o intestino pelo lado de fora, provocando uma compressão, impedindo a digestão e causando vômitos frequentes.

Apenas a cirurgia seria a solução para corrigir o defeito congênito de Matheus, mas esse procedimento não era recomendado no caso dele, pois era necessário que tivesse um aumento de peso, quase impossível de alcançar, já que Matheus não conseguia se alimentar.

No ano de 2013 o estado de saúde de Matheus piorou e os médicos disseram aos seus pais que, se tivessem fé, para rezar, pois a medicina tinha feito todo o possível. Neste mesmo ano foi quando iniciou o processo de beatificação de Carlo e as histórias se cruzaram.

Na Igreja que fica perto da casa do pequeno Matheus e sua família, o padre já havia apresentado Carlo Acutis à comunidade. No ano de 2011 o padre trouxe da Itália uma relíquia, que era um pedaço de uma peça de roupa de Carlo, para expor na sua Igreja todo dia 12 de outubro, dia em que Carlo faleceu.

Então, nessa mesma data, no ano de 2013, Matheus foi levado à missa por sua mãe, Luciana, que como não podia mais contar com a medicina, se agarrou à fé na tentativa de salvar a vida do filho. Ao chegar na missa, Luciana levou Matheus para ver a relíquia de Carlo Acutis, que estava exposta, e disse a ele que fizesse um pedido.

Porém, como Matheus era muito pequeno e estava muito doente, a mãe pensou que ele não tinha entendido. Pouco tempo depois, veio a surpresa: Matheus começou a melhorar. Na verdade, ele próprio disse, anos mais tarde, que tinha sim feito o pedido. Ele pediu a Carlo Acutis para parar de vomitar.

Depois de novos exames, os médicos constataram que a malformação do pâncreas de Matheus tinha simplesmente desaparecido, e a ciência não podia explicar o que tinha acontecido. Só poderia ser um milagre.

bolo de leite com casquinha de limão

Bolo de leite com casquinha de limão para o lanche da tarde

cachos coloridos

20 Ideias de cores para cabelos cacheados e crespos: chegou a hora de mudar!