Dicas para ajudar você a parar de gritar com seus filhos
Crédito: Freepik
em

11 Dicas para ajudar você a parar de gritar com seus filhos

Veja como manter a calma em meio ao caos e controlar as crianças sem precisar gritar

Nem sempre é fácil manter a paciência, ainda mais com a criançada toda em casa. Mas gritar não é a melhor saída. Na realidade, pode ensinar seus filhos a agir da mesma forma, sem aprenderem a lidar com a própria frustração. Veja então quais seriam as melhores abordagens para corrigir e educar, sem perder a razão.

1. Entenda que não funciona

Pode até ter efeito no momento, pelo susto que a criança toma, mas a médio prazo é um grande problema. Isso porque não vai educar e o mau comportamento vai voltar, provavelmente pior, pois a criança vai entender que é só um som e não vai fazer diferença.

Além disso, pais que gritam criam crianças que fazem o mesmo, seja com os colegas ou os próprios pais. Então, tenha em mente que não funciona e que vai ser somente uma perda de controle e péssimo exemplo.

2. Veja qual é a causa real

Às vezes a criança só está com sono, com fome ou cansada. Pode ser também que alguma coisa tenha dado muito errado no seu dia e ela não saiba desabafar ainda. Um problema na escola, seja com um colega ou uma matéria. Tente entender o que está causando o mau comportamento e procure ajudar a resolver.

3. Não exija perfeição

Seja você ou seus filhos, ninguém é um exemplo de calma e perfeição, lembre-se disso. Não espere que as crianças venham a reagir de forma idealizada, depois de aplicar as técnicas. Isso leva tempo e treino e, caso você sinta frustração e não saiba lidar com ela, pode acabar partindo para o uso do grito.

4. Lembre que aprendizagem leva tempo

Assim como você não gritaria com uma criança que caiu da bicicleta durante a curva, depois de apenas uma semana de treino, não deve gritar com aquela que está aprendendo a se controlar. Até mesmo os adultos perdem a calma de vez em quando, imagina quem está começando a praticar!

5. Afaste-se e respire

Se você sentiu que está prestes a perder o controle, saia do local e vá respirar, profunda e lentamente, em outro cômodo. Quando estiver mais calma e entender melhor o que está acontecendo e como deve agir, volte. Aplique as técnicas a seguir.

6. Diga “pare”

Comandos simples são extremamente eficazes para crianças pequenas. Não adianta ficar dando um sermão longo, porque eles nem vão prestar atenção. Seja breve e dê comandos no imperativo mesmo. Repita se necessário e se não funcionar vá para outra técnica — o que vale para todas.

7. Fale muito baixo, porém firme

Se abaixe em frente à criança e fique na altura dos olhos dela. Fale, em tom calmo, baixo e firme, o que ela fez de errado e como deveria ter agido. Peça para ela explicar o porquê de ter feito a arte e mostre como pode fazer numa outra vez. Claro que no começo essa não será uma conversa tranquila, mas com o tempo ambos vão pegando o jeito.

8. Mantenha o olhar firme

Conhece a expressão “só de minha mãe olhar, eu obedecia“? Ela não apenas faz sentido, como é uma construção ao longo dos anos. Por isso é fundamental que a criança olhe nos seus olhos enquanto você corrige, mas há outro ponto. Você não pode ficar com um olhar inseguro, mantenha o olhar firme, a cabeça elevada e mostre que ele deve te ouvir.

9. Use a postura corporal correta

Nada de se curvar para baixo, se apoiar em uma das pernas, esconder o rosto entre as mãos e similares. Mantenha uma postura séria, ereta e firme quando for falar com a criança. Isso também pode ser feito quando estiver abaixada, na altura dos olhos. Não se incline para a frente e mantenha a confiança, pois grande parte da nossa comunicação é não verbal.

10. Cumpra o que prometer

Se disser que vai ficar sem televisão por uma hora, cumpra. Se a promessa foi de levar para tomar sorvete de tardezinha, cumpra. Nunca prometa algo que não pretende cumprir, pois isso tira sua autoridade e o respeito pela palavra. Assim, quando disser que ela deve se comportar melhor para evitar uma punição (sem TV ou celular), a criança vai obedecer.

11. Elogie mais

Um dos motivos de mau comportamento é a necessidade de ganhar atenção dos pais ou cuidadores. Brinque, interaja, converse com a criança e, acima de tudo, elogie muito. Seja o desenho feito, o comportamento adequado, uma mudança positiva. Coloque um sorriso no rosto por ela e palavras sinceras também.

Certamente criar filhos não é fácil e não existe uma fórmula mágica para tal. Além disso, os pais e mães são somente humanos tentando lidar com as próprias frustrações e desafios, cometendo erros e acertos. Ter isso em mente e lembrar que também a criança não é perfeita, e que pode sim errar e aprender com amor, torna o processo mais leve para ambos.

Jovem recebe 1º salário e faz surpresa para a mãe

Jovem recebe 1º salário e faz surpresa para a mãe

Mãe compartilha jeito fácil de comprar sapatos para os filhos sem levá-los à loja