Motivos pelos quais não devemos sacrificar tudo pelos nossos filhos
Crédito: Freepik
em

4 Motivos pelos quais não devemos sacrificar tudo pelos nossos filhos

Você não deixa de amar seus filhos por querer pensar em si

Publicidade

Os filhos precisam de atenção, amor e muitos cuidados. Mas, não significa que os pais devam deixar tudo de lado e passarem a vida apenas se dedicando a ficar de olho no filho, com medo que qualquer arranhão aconteça.

Para ser capaz de criar filhos com autoestima elevada, seguros de si e responsáveis pelos próprios atos, os pais devem estar sempre por perto, mas deixar que os filhos aprendam com os erros, façam as coisas sozinhos, conforme tiverem capacidade.

Além disso, os pais devem compreender que, ter um filho, não é um trabalho que você faz esperando receber algo em troca. Não se cuida de um filho esperando que ele vá cuidar de você mais tarde, nem que ele vá atender as expectativas que você tem para a vida dele.

Os filhos vêm ao mundo como indivíduos que precisam de orientação para seguirem o próprio caminho. O amor dos pais é essencial, mas não pode ser doentio a ponto de repirmir o filho e “cortar suas asas” com medo que ele abandone o ninho.

Publicidade

Para evitar esses problemas emocionais que podem afetar tanto os pais quanto os filhos, o melhor a fazer é não sacrificar tudo pelos filhos. Ou seja, procurar manter o equilíbrio entre suas atividades pessoais e profissionais, e as necessidades dos filhos, de acordo com a idade deles e outras particularidades.

1. Os filhos não são sua propriedade

Ter filhos é como alugar uma casa. Você deve assumir a responsabilidade de cuidar bem da casa, mas ela não é sua, então, você não tem o direito de decidir reformá-la ou vendê-la. Com os filhos é a mesma coisa: eles precisam do seu cuidado, amor e orientação para se tornarem capazes de tomar as próprias decisões e seguirem pelo próprio caminho, conforme eles quiserem, e não conforme você quer.

2. Querer um tempo para si não é ser egoísta

Muitos pais se sentem culpados por quererem passar um dia longe dos filhos para fazer uma refeição sem ser interrompido, ir ao banheiro sem ter alguém batendo na porta e querendo entrar, tomar um banho relaxante sem medo do que a criança pode estar aprontando na sala.

Publicidade

Você não é uma pessoa egoísta por querer dar um tempo e relaxar. Você tem esse direito, desde que não abandone seu filho aos cuidados de outra pessoa por mais tempo do que o necessário.

3. Os filhos nem sempre vão ser recíprocos

Como já foi falado, os pais não devem criar seus filhos esperando que eles sejam imensamente gratos por toda a vida, que sigam a carreira que os pais sonham pra eles, que estejam sempre por perto dispostos a ajudar.

Às vezes os filhos querem sair da casa dos pais mais cedo do que eles esperavam, escolher uma profissão que os pais desaprovam, ficar um tempo longe. Enquanto houver respeito, não há mal nisso. Então, não sacrifique a sua vida pessoal para se dedicar a vida do seu filho, sem que ele precise disso.

Publicidade

Se você tem um filho saudável e capaz de seguir o próprio caminho, agradeça por isso e deixe-o ir. É o melhor que você pode fazer por ele. Quando for a hora, quando ele estiver maduro e tiver vivido as experiências que precisava, ele irá voltar para agradecer pela sua confiança.

4. Você não merece ser uma pessoa frustrada

Pode ser necessário deixar algumas coisas de lado quando seu filho é muito pequeno ou se ele tem necessidades especiais. Mas, fora essas situações, você não deve abandonar e sacrificar seus sonhos para sempre, só porque você tem filhos. Assim que for possível, volte a buscar desafios e realizações pessoais. Um dia seu filho vai sair de casa e você vai precisar seguir com sua vida.

teste de personalidade

Teste de personalidade: Escolha uma borboleta e saiba o que ela diz sobre você

Como aliviar a reação da vacina da Covid-19

Como aliviar a reação da vacina da Covid-19